E foi

Invasão, desconstrução… Vazio d’alma. Foi tudo o que restou de breves amizades amadas, da traição, das máscaras. Não podia entender como a intensidade poderia ser tão diretamente proporcional à brevidade, ao desiludir.

Por certo momento se encontrou criança de cinco anos, abandonada e com frio, sozinha. Tudo estava longe de seus pés o mundo havia se desmoronado de tal forma que o tal entender era complicado demais.

O estado de ser criança acabou sendo passageiro, um baque fazendo tudo levantar, tudo esclarecer.

Estava mais centrada e ponderada sentou e debulhou as palavras que deveria debulhar, não foi um trabalho muito laborioso, palavras simples para tão complicado momento, construções gramaticais absurdas, tudo direcionado a eles.

Para ter certeza de que não rasgaria os papéis escritos ou os guardaria engolindo a seco sua cólera, resolveu ir ao correio e mandar todo o pensamento de vez única e dolorosa.

Começou a colocar pontos finais e amarrar as histórias, os finais não ficariam mais soltos, do jeito que o diabo gosta. Não! Isso não mais, ela tomaria conta de tudo e de todos na sua vida. Essa foi a decisão maior.

Tudo estava limpo, pelo menos parecia, para acolher novas efemeridades. Até uma nova queda e o aparecimento de novas resoluções.

Facebooktwittergoogle_plustumblrmailby feather

Momento Depeche Mode

A única coisa na qual consigo pensar, ouvir e sonhar…

Freelove

If you’ve been hiding from love
If you’ve been hiding from love
I can understand where you’re coming from
I can understand where you’re coming from

If you’ve suffered enough
If you’ve suffered enough
I can understand what you’re thinking of
I can see the pain that you’re frightened of

And I’m only here
To bring you free love
Let’s make it clear
That this is free love
No hidden catch
No strings attached
Just free love
No hidden catch
No strings attached
Just free love

I’ve been running like you
I’ve been running like you
Now you understand why I’m running scared
Now you understand why I’m running scared

I’ve been searching for truth
I’ve been searching for truth
And I haven’t been getting anywhere
No I haven’t been getting anywhere

And I’m only here
To bring you free love
Let’s make it clear
That this is free love
No hidden catch
No strings attached
Just free love
No hidden catch
No strings attached
Just free love

Hey girl
You’ve got to take this moment
Then let it slip away
Let go of complicated feelings
Then there’s no price to pay

We’ve been running from love
We’ve been running from love
And we don’t know what we’re doing here
No we don’t know what we’re doing here

We’re only here
Sharing our free love
Let’s make it clear
That this is free love
No hidden catch
No strings attached
Just free love
No hidden catch
No strings attached
Just free love
Facebooktwittergoogle_plustumblrmailby feather

Família! Família! Almoça junto todo dia!

E parecia cena dos típicos domingos belenenses, quase todos reunidos, conversando besteira e tomando vinho sem dó nem piedade dos pobres colhedores de uvas que se matam para poder colher as melhores frutas. E daí? Qual o problema? Não tinha problema nenhum! Perfeição, música e poesia… Estava em casa, um núcleo familiar paulistano está visivelmente criado!

Como tudo é parecido e diferente, estávamos falando de tudo na maior normalidade com um adendo das roupas de frio e da temperatura baixíssima, minha querida irmã torta estava por aqui e nos fez grata surpresa… Lágrimas de alegria extrema escorreram pelas minhas bochechas ao ver a Denise e quando a minha baixinha Izadora apareceu dava para ver a felicidade pairando no apartamento.
Coisas típicas, como a lerdice de todos ao falarem de variados assuntos, meu tio recitando poesia ao som de um dedilhado de violão, as conversas nonsense e o tempo passado com a Izi no quarto.
É! Estava precisada de aconchego, lar e amores… Podia durar para sempre, como podia ter durado para sempre o ano de 2004, o Erecom 2005 e a semana da minha despedida da terra das chuvas incessantes, mas se todos esses momentos tivessem durado para sempre não teria vivido milhões de outros tão importantes quanto!
Agora eu vou passando, por alguns dias tenho minha priminha do lado, meus tios e por um mísero, mas maravilhoso, dia tive minha irmã mais velha… Falando besteiras e fazendo programinhas in.

Vale registrar alguns momentos Nonsense acontecidos de ontem para hoje:

1- Tia Rute me fitando por meio minuto e depois perguntado: “Luaninha é você?”.
2- Deka entrando na sala e eu fazendo um esparrinho basiquérrimo com lágrimas de saudades.
3- Izi me dando um abraço e dando respostas certeiras para a Palô, a mais engraçada foi: Palô: “Izi, eu to bonita?”; Izi: “Não, tu ta gorda” – Relevem a pequena tem nove anos.
4- Palô e Deka na exposição “Corpos Pintados” virando para mim com a seguinte frase: “Já penso em fazer uma cirurgia plástica”
5- Palô, Deka, Laura e eu na Quinta da Mandioca almoçando e falando besteiras mil.

Gosto da minha real família, mas esta família conquistada é tão minha cara, tão presente nos meus momentos…

“Que seja eterno enquanto dure”, já dizia o poeta.

Facebooktwittergoogle_plustumblrmailby feather

Idéias em estado melancólico

Há muito ouvi dizer que as melhores idéias eram as que aconteciam durante um estado choroso, depressivo, melancólico, ou como queiram chamar este certo arzinho de lágrimas no ar… Talvez estejam certos, pois foi este sentimentozinho de vazio, tristeza e falta que me fez clicar duas vezes no ícone do word e começar a escrever sobre qualquer coisa vinda nesta cabeça de vento, para dar um help nesse estado coloquei para tocar Belle & Sebastian, não corro riscos de arrebentar meus pulsos, já que não estou ouvindo Coldplay, The Smiths ou The Cure… Não se preocupem.

E começa assim…

Um corredor cinza com luzes fluorescentes – gastam menos e dão um bom look – e várias portazinhas uma do lado da outra… Como naquele filme onde o Keanu Reeves faz o papel de um adolescente guitarrista que viaja pelo tempo-espaço em uma cabine telefônica, uma menininha vestida como Heydi e um coelho com a cara do The Tick.

Dez minutos para encontrar atrás de uma das portazinhas um menino feito de pixels, somente pixels… Mas o coelho não é boa pessoa, na verdade, não é um bom coelhinho! Ele está querendo achar uma tonelada de barras de chocolate para poder comer e estourar, mas sem a ajuda do molho de chaves da Heydi ele não tem como saciar seu desejo chocolátra!

Pobre Heydi, não sabe que The Tick é um interesseiro… E pior! Não sabe onde está o menino pixel… Como acaba a história??? Sinceramente não sei! Só inventei a parte básica, personagens, local e motivação para as ações os desdobramentos não me disseram como seriam.

Que a força esteja com vocês, assim como o ócio criativo.

Facebooktwittergoogle_plustumblrmailby feather
No more posts.