PUC/SP aumenta carga de aulas de professores

Matéria publicada na Folha de hoje sobre a PUC/SP, é a atual gestão da universidade dando continuidade ao projeto do Império do Laquê.

Reitoria reduz tempo do contrato para ações como pesquisa e atendimento a aluno para quem está no topo de carreira

Para sindicato, medida pode levar a demissões; universidade nega e diz que apenas padronizou procedimentos internos

FÁBIO TAKAHASHI
DE SÃO PAULO

A direção da PUC-SP decidiu reduzir o período para trabalho extraclasse dos professores em topo de carreira. Assim, eles terão menos tempo para ações como pesquisa e deverão dar mais aulas. Para o sindicato dos docentes, a medida pode levar a demissões, pois os professores titulares e associados (níveis mais mais altos) terão de pegar mais aulas- sobrando menos classes aos demais.
A reitoria da universidade, por meio da assessoria de imprensa, afirmou que “não estão previstas demissões”. Disse que a maior carga para aulas será destinada a novos cursos, como os do novo campus do Ipiranga (zona sul) -o campus tradicional fica em Perdizes (zona oeste).

“SOBRECARREGADOS”
Para Priscilla Cornalbas, do sindicato docente Apropuc, “os professores ficarão sobrecarregados, com muitas aulas. E provavelmente faltarão turmas para todos”. Segundo ela, poderá haver também redução dos contratos, com corte salarial.
A reitoria diz que a determinação visa apenas padronizar a distribuição de aulas, pois havia unidades já com o novo formato. Diferentemente de boa parte das instituições de ensino privadas, a PUC-SP paga os docentes para atividades extraclasse, como pesquisa e atendimento a estudantes. Antes dessa mudança, os profissionais em topo de carreira tinham uma margem para definir a quantidade de aulas que dariam.
Exemplo: quem possuía 40 horas semanais poderia lecionar entre 15 e 18 horas. Agora, obrigatoriamente serão 18. A medida já valia para níveis inferiores da carreira. A reitoria negou que a situação financeira tenha influenciado na decisão.
Melhor instituição privada de São Paulo, a PUC enfrenta problemas de recursos há mais de 20 anos. No final de 2005, chegou a haver um corte de 30% no quadro docente. Agora, afirma a reitoria, a situação “está controlada e caminha para a solução definitiva”.

AULAS ADIADAS
A reitoria anunciou também o adiamento em uma semana do início das aulas. Para o sindicato, a medida foi tomada para haver tempo de redistribuição de aulas, considerando os cortes. A reitoria citou o fim de reformas e padronização do calendário da graduação e da pós.

Facebooktwittergoogle_plustumblrmailby feather

2 responses to PUC/SP aumenta carga de aulas de professores

  1. Gravíssimo isso daí. Uma expressão da mediocridade contemporizadora – e pantanosa – de Dirceu de Mello, algo parecido com o que se viu na sua passagem pela Direção Faculdade de Direito – que tornava a tragédia na reitoria favas contadas. Num caráter macro, São Paulo vai assistindo uma verdadeira morte de neurônios, é a USP entrincheirada entre o burocratismo academicista e os interesses pró-governo estadual e a PUC sendo deformada diariamente pela Igreja e o seu beco sem saída.

    • Isso mesmo Hugo, no final das contas a continuação da maximização dos professores nesta gestão e a posição não posso fazer nada da reitoria sobre este e diversos outros temas caros a comunidade já tinham sido manifestos há tempos. Infelizmente ainda teve quem acreditasse em um respiro para a situação da PUC/SP apoiando o Dirceu…

Leave a reply

Basic HTML is allowed. Your email address will not be published.